Cansaço? Desmotivação? Síndrome de Burnout

Publicado por em 05/09/2015 às 14h09

Cansaço? Desmotivação? Síndrome de Burnout ou síndrome do esgotamento profissional, foi descrita em 1974 pelo Dr.Freudenberger e tem como características principais sintomas como cansaço, sensação de esgotamento, memória fraca, irritabilidade, sensação crônica de tensão. É mais comum em profissionais que suas funções envolvem diretamente outras pessoas - profissionais da saúde, da educação, dos recursos humanos, da assistência social, advogados, policiais, bancários, etc.

Hoje em dia a pressão sobre os profissionais está cada dia mais forte, a competividade, a ambição, os objetivos estão cada dia maiores, antigamente na época dos pais das pessoas de 35 anos hoje, geralmente vinham de famílias que conseguiram sustentá-los com alguma dificuldade mas que ofereceram mais do que tiveram, seus pais por sua vez estudaram, trabalharam e foram galgando melhoras pessoais, sociais e econômicas, muitos de seus amigos também conseguiram, alguns deles só vistos em ocasiões especiais onde superficialmente se sabiam das novidades e conquistas. Esta geração (a dos 35 anos) já foi criada de maneira bem diferente, com luxos e desejos bem mais requintados, possíveis pela globalização e o alcance da internet, o que nos possibilita conhecer o mundo de dentro de casa, da tela do computador e graças a uma ferramenta maravilhosa chamada de redes sociais, podemos hoje estar em “contato próximo” de todos os nossos amigos e dos não amigos também, lugar onde se ostenta as conquistas, a felicidade, os casamentos perfeitos, as carreiras de sucesso, dessa maneira esta geração vive em uma bagunça emocional entre o que ela deseja, o que o mundo deseja e o que desejam que ela deseje, gerando uma pressão muito grande, somada ao excesso de trabalho e ao aumento sempre crescente dos objetivos gera uma insatisfação e uma sensação de inadequação constante.

Você sabia que hoje o principal motivo de absenteísmo (ausência) do trabalho são problemas mentais? Desses a depressão é a mais comum, a síndrome de Burnout é um desses desequilíbrios, sendo gerado e sentido primeiramente com relação as atividades profissionais e depois se estendendo a vida pessoal. A cobrança interna, na verdade, é uma das principais vilãs, toda a pressão externa, a competitividade, à espera do reconhecimento, a expectativa do resultado do seu trabalho leva o profissional a assumir mais atividades que lhe é possível resolver, a viver diariamente com uma insegurança com relação ao seu futuro, todos estes fatores vão gerando um esgotamento profissional insustentável que pode levar a um pico de desidentificação com a profissão que escolheu.

É importante salientar que sempre podemos mudar, que se realmente sua profissão não o faz feliz e realizado, SEMPRE podemos mudar, transformar. Mas quando a questão é a maneira como vivemos e não o que realmente vivemos, está na hora de procurar ajuda.

Segundo Trigo os efeitos do burnout podem prejudicar o profissional em três níveis: individual (físico, mental, profissional e social), profissional (atendimento negligente e lento ao cliente, contato impessoal com colegas de trabalho e/ou pacientes/clientes) e organizacional (conflito com os membros da equipe, rotatividade, absenteísmo, diminuição da qualidade dos serviços).

A prevenção é o melhor remédio. E como se previne este caos? Principalmente aliviando o stress.

Primeiramente é importante se ter em mente se esta ocupação é realmente sua vocação, se você realmente pode ser feliz a exercendo, se não o importante é correr atrás do prejuízo, descobrir o que você quer fazer, planejar, preparar e mudar! Em caso positivo algumas mudanças nos seus hábitos de vida podem ajudar muito, exercícios físicos, meditação, equilíbrio entre o período de trabalho e repouso são muito importantes a descarregar as aflições diárias. Um trabalho psicoterapêutico também é indicado para facilitar a percepção das prioridades e ajudar no autoconhecimento, quem se conhece sabe até onde pode chegar e lida melhor com frustrações, a acupuntura pode ser muito benéfica pois equilibra e harmoniza o organismo.

Quando a síndrome de burnout já está instalada o indivíduo precisa de ajuda médica, medicamentos são utilizados para aliviar os sintomas, todas as atitudes preventivas tornam-se reparativas agora e a acupuntura entra como um tratamento muito importante porque alivia o stress, melhora o sono, trata a depressão enfim uma ferramenta importantíssima no processo.

Cuidem-se e até a próximaburnout

Categoria: Medicina Tradicional Chinesa
Tags: Stress

Comentários

Vera Martins em 11/07/2016 13:27:45
Olá boa tarde. Estou a passar uma fase um pouco complicada passei por uma depressão, fiquei sem trabalho, tive um acidente, tudo em espaço de pouco tempo. Pensei que estava a melhor mas depois de uma empresa onde andei também me fez passar um mau bocado, e voltei a ficar em baixo mas agora não vejo jeito de melhorar cada dia que passa tenho menos esperança na vida preciso de ajuda, o que devo fazer!?Obrigado

Enviar comentário

voltar para Blog da Flavia

show normalcase tsN left fwR|show tsN left fwR|left fwR show|bsd b01|||news c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB c10|b01 c05 bsd|login news normalcase uppercase fwB c10|tsN normalcase uppercase c10 fwB|normalcase uppercase c10|content-inner||