Acupuntura e Gravidez - Mitos e Verdades

Publicado por em 04/08/2017 às 14h01

acupuntura durante a gravidez sempre esteve envolta de medos e crenças infundadas, o tratamento ou acompanhamento da acupuntura durante a gestação traz inúmeros benefícios, no último fim de semana aconteceu o XVIII Congresso Nacional de Acupuntura e Moxabustão - CONAM, e lá apresentei uma palestra sobre o assunto.

Para ilustrar o que é ou não verdade sobre os mitos relacionados a acupuntura e a gestação resolvi pesquisar sobre cada tema em referências da bibliografia científica, PubMed e Cielo, dessa forma embasamos as citações de maneira a não sobrar dúvidas, no final do texto coloco o link da apresentação em PDF do congresso.

Um mito que ainda hoje, vez ou outra ouvimos, é o de que gestante não pode fazer acupuntura, só na Pubmed são 926 resultados quando utilizamos as palavras de busca acupuntura e gravidez, a acupuntura por ser uma técnica que diminui muito, quando não elimina, o uso de medicamentos na gestante, só pode trazer benefícios, atendo gestantes há mais de 20 anos, em minha conduta profissional, quando acrescentei a acupuntura os benefícios foram sensacionais.

Da mesma forma quando se diz que sim, pode-se fazer acupuntura em gestantes, porém somente após as 12 semanas, MITO! Facilmente essa crença cai por terra quando pesquisamos o tratamento através da acupuntura para enjoo na gravidez, ou em casos graves, hiperemese gravídica, que tem sua maior incidência no primeiro trimestre gestacional, e conseguimos resultados muito bons, sem nenhum dano à gestante.

Outro alvo das crenças infundadas é a de que não se utiliza auriculoterapia em gestantes, em um único trabalho encontramos 212 gestantes tratadas com auriculoterapia, sem nenhum efeito adverso, são na Pubmed 39 trabalhos utilizando a auriculoterapia como principal recurso terapêutico em incômodos durante a gravidez e inúmeros utilizando a técnica como terapia complementar, portanto, sim podemos utilizar a auriculoterapia sem receios em pacientes grávidas.

A eletroacupuntura é a única crença que realmente deve ser respeitada, não existe evidência científica de que a eletroacupuntura cause danos à gestante ou ao bebê, porém o que acontece é que, trabalhos como o do Dr. Paulo Farber, demonstram que a acupuntura aumenta a atividade elétrica do útero, porém outros trabalhos utilizam a eletroacupuntura como recurso terapêutico, portanto, em minha opinião não é um recurso terapêutico que seja aconselhável utilizar neste momento da vida da mulher.

Indução ao parto normal somente após 40 semanas gestacionais, não existe nenhuma necessidade dessa espera, os trabalhos encontrados preconizam que seja aguardado gestação a termo, ou seja, que a gravidez esteja com o tempo completo e isso se dá na 37ª semana, dessa forma, a partir dessa semana pode-se iniciar uma indução, no meu consultório começo com 38 semanas, a maioria dos trabalhos utilizam esta conduta, independente da técnica que estejam utilizando.

E o que mais assusta os acupunturistas, OS PONTOS PROIBIDOS! Muito de fala e se escreve sobre eles, mesmo não tendo muita coisa escrita nos livros mais antigos, muitas crenças se fortalecem em cima deste tema, existem listas de pontos proibidos que sobrariam poucos a serem utilizados. O que encontramos então? Existem 8 trabalhos realizados com os principais pontos ditos como abortivos – IG4, BP6, pontos sacrais, VB21, VC4, B60 e B67, nestes trabalhos foram realizados mais de 10.000 atendimentos e não foram encontradas evidências de que a acupuntura nestes pontos possa causar efeitos adversos tanto na mãe quanto no feto. Dois dos grandes mestres da atualidade Maciocia e Auterouche citam os pontos: IG4, BP6, pontos abaixo do umbigo e pontos acima do umbigo somente após as 12 semanas, com a ressalva de que o proibido seria utilizar estes pontos juntos, dentro da minha experiência que só com acupuntura já são 15 anos, digo que o que precisamos é de cautela, temos muitas técnicas, muitos pontos para ter que utilizar pontos com estas crenças, eu já utilizei muitos desses pontos em gestantes em momentos que avaliei que era o que a mulher precisava naquele momento, mas nunca somei a utilização destes pontos em uma sessão.

A acupuntura tem comprovação de sobra que se trata de uma técnica homestática, ou seja, que busca o equilíbrio no corpo do indivíduo, em diversos tratamentos, para objetivos diversos, encontrou-se a regulação da pressão arterial, da temperatura, dos batimentos cardíacos e muitos outros achados, porque então causaria malefício à gravidez sadia? Tudo que tenho no meu consultório são gestantes mais tranquilas, com alívio dos incômodos que são esperados na gravidez, dormindo melhor e com muitos outros benefícios.

Link com o PDF da palestra:

https://www.slideshare.net/FlaviaMacedoParente/congresso-2017-gravidesmitos-78573901

 

Até a próxima

Flavia

Categoria: Medicina Tradicional Chinesa

Enviar comentário

voltar para Blog da Flavia

show normalcase tsN left fwR|show tsN left fwR|left fwR show|bsd b01|||news c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB c10|b01 c05 bsd|login news normalcase uppercase fwB c10|tsN normalcase uppercase c10 fwB|normalcase uppercase c10|content-inner||